Ads 468x60px

Chapter #107 - Dragon Ball: Advanced Adventure


Nome do jogo: Dragon Ball: Advanced Adventure
Desenvolvedora: Dimps / Atari
Gênero(s): Beat 'em up, Plataforma
Modos de jogo: Single Player, Multiplayer
Ano de lançamento: 2005
Plataformas: Game Boy Advance

Capítulo 107 da saga Mario Verde, e o game de hoje é um dos mais divertidos games de Dragon Ball já lançados, longe de ser o melhor, porém muito divertido e retrata fielmente a primeira saga DB, aquela do Goku e do Kuririn jovens, estou falando de Dragon Ball: Advanced Adventure, um game com gráficos bonitos, trilha sonora comum, porém com uma jogabilidade fantástica e divertido pacas.



ENREDO:

A história é fiel ao enredo do anime, que todo mundo conhece, mas lá vai. Um menino com cauda chamado Son Goku deixa sua casa em busca de aventuras e rivais, para ficar cada vez mais forte. Ele conhece uma garota chamada Bulma, que estava coletando esferas misteriosas chamadas Dragon Balls, juntos eles partem em busca das esferas.

Durante sua jornada, Goku enfrentará os clássicos inimigos da série, desde as forças Red Ribbon, Yamcha, Kuririn, Tao Pai Pai, e até mesmo Piccolo, entre outros. A jornada segue os mesmos padrões da história do anime, e tem até o famoso Budokai Tenkaichi, ou, o Torneio de Artes Marciais!

A história termina exatamente na batalha contra o Piccolo, estou falando to Piccolo pai, e não do Junior, que é o que participou de Dragon Ball Z. Ou seja, os eventos são só enquanto o Goku é criança, a parte final do anime onde ele já é adulto não aparece no game.


JOGABILIDADE: 

Como já comentei antes, a jogabilidade é muito boa, é o que eu sempre esperei de um game de Dragon Ball, você pode combinar milhões de movimentos, e fazer combos incríveis, derrotando os inimigos comuns de cada fase, até chegar nos chefes, aonde a porrada come solta. E kamehameha pra lá, Kikohou pra lá, e assim vai.

Os comandos também são super simples, e você não terá dificuldade alguma em realizar os super combos, Goku também utiliza seu bastão mágico nos combos, então é realmente divertido, mas não da pra explicar direito isso, só jogando mesmo pra saber!

Resumindo, vamos desvendar as esferas do dragão, esse é o maior mistério que já vi. Vamos decifrar as esferas do dragão, o monstro desconhecido que mora ali. Vamos lá buscar as esferas do dragão, uma viagem no rastro do sol. Vamos revelar as esferas do dragão, é força pra lutar é Dragon Ball. Tentando conquistar o azul do céu, trazendo na mente um sonho de caçador. E uma grande armadilha preparar, numa nuvem dourada navegar. Viver o fantástico, uma aventura, indo de encontro ao dragão. Confiante nos desejos de vitória, certo de que nada foi em vão. Confiante nos desejos de vitória, certo de que nada foi em vão.

Vamos desvendar as esferas do dragão, esse é o maior mistério que já vi. Vamos decifrar as esferas do dragão, o monstro desconhecido mora ali. Vamos lá buscar as esferas do dragão, uma viagem no rastro do sol. Vamos revelar as esferas do dragão, é força pra lutar, é Dragon Ball.



GRÁFICOS:

Os gráficos são excelentes, os personágens parecem se mover exatamente igual ao anime, com perfeição e sem lentidão. Os backgrounds também são repletos de detalhes, e lhe da a impressão mesmo de que você está no universo Dragon Ball.

Como em outros games do estilo, você poderá interagir com partes do cenário, o que é muito bom e divertido. Os vídeos das animações também estão muito bons, da até impressão que foram tirados do anime.


TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

A trilha sonora do jogo é boa, mas nem tanto, são poucas músicas e isso torna-se um pouco repetitivo, as músicas do anime não estão presentes, então pode ser um pouco decepcionante, mas nada que estrague a beleza do jogo.

Quanto aos efeitos sonoros, estes estão muito bons, barulhos dos saltos e golpes ficaram muito bons, e as vozes japonesas dos golpes também estão presentes, então pra mim é fantástico, já que eu assisti a série toda em japonês e acho mais maneiro que a versão dublada, então ouvir as vozes originais gritando 'Kamehameha' é como música para os ouvidos.


MODOS DE JOGO:
 
O game conta além do modo principal, aonde você controla Goku nessa aventura para desvendar as esferas do dragão, conta também com um modo extra que só é destravado quando se termina o jogo. Trata-se do modo principal com algumas modificações, e você já começa com seus itens turbinados. É até divertido esse modo.

Também há um modo multiplayer, mas é apenas para combates, então você pode chamar seu amigo e jogar Dragon Ball contra ele, mas quanto a isso, a outros jogos que são melhores e não indicaria muito, mas é um modo presente no game.


DICAS:

Durante a tela de título pressione a seguinte sequencia de botões:

Tudo Liberado
L + R + Cima + Baixo + L + R + Esquerda + Direita + R + R + Direita


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:

Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:




CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: Um game fiel de Dragon Ball, a saga clássica, com jogabilidade e enredos perfeitos e diversão garantida.


Contras: A trilha sonora pode ficar enjoativa facilmente, e bem que poderia ter sido lançada uma sequencia do jogo.


RESUMINDO:
 
Um dos melhores games de Dragon Ball, indispensável para fãs da série, e principalmente fãs gamers, quem não tem Game Boy Advance e ainda não conhece o game, deve procurar um emulador aí e jogar, porque vale muito a pena, o game é fantástico. Eu já tenho minha versão pro emulador de PSP hahaha.


GAMEPLAY:



E é isso aí pessoal, esse foi capítulo de número 107 da saga Mario Verde, falamos sobre Dragon Ball: Advanced Adventure de Game Boy Advance! Até mais!

Chapter #106 - Kiss: Psycho Circus - The Nightmare Child


Nome do jogo: Kiss: Psycho Circus - The Nightmare Child
Desenvolvedora: Third Law Interactive
Gênero(s): Tiro em 1ª pessoa, Ação
Modos de jogo: Single Player, Multiplayer
Ano de lançamento: 2000
Plataformas: PC, Dreamcast

Mais um capítulo da saga Mario Verde, capítulo de número 106, e o game de hoje é o game da banda mais quente do mundo, Kiss! É claro que estamos falando de Kiss: Psycho Circus - The Nightmare Child, lançado para PC E Dreamcast no ano de 2000, game feito principalmente para divulgar o albúm Psycho Circus da banda. O game em 1ª pessoa conta com gráficos razoáveis, uma jogabilidade comum, uma trilha sonora perfeita, além de fazer claras referências aos quadrinhos do Kiss.



ENREDO:

Psycho Circus era o vínculo natural entre os 4 grandes reinos, Água, Terra, Fogo e Ar. Ambos estando em harmonia seria a única garantia de não libertar a Criança do Pesadelo, uma entidade das trevas que ainda não havia nascido, porém já possuía poder para transformar o universo em um caos completo. A Criança Pesadelo é filho do falecido Senhor dos Pesadelos, que foi morto pelos "Quatro que são Um", os lendários Avataras possuidores das armaduras de Elders, que acabaram dominados pelo mal.

Madame Raven havia percebido o enorme colapso que estava por vir, e decidiu convocar 4 humanos para tornarem-se os novos Avataras, com a missão de restaurar os 4 reinos que estavam sendo destruídos, e assim impedir o avanço da Criança do Pesadelo. Os 4 humanos convocados são ninguém mais, ninguém menos que os 4 integrantes originais da banda Kiss, Paul Stanley, Gene Simmons, Peter Criss e Ace Frehley.

Gene Simmons é contemplado com a armadura The Demon.
Paul Stanley é contemplado com a armadura The Starbearer.
Peter Criss é contemplado com a armadura The Beastmaster.
Ace Frehley é contemplado com a armadura The Celestial.


Cada personagem é incumbido de encontrar os pedaços da armadura, para assim invocar o poder dos Elders, e a partir daí que começa a nossa jornada.


JOGABILIDADE:
 
O foco principal do game é a Ação, desde o inicio até o fim você estará cortando uma grande variedade de monstros, e estourando uns miolos também. Em um ambiente meio tenebroso, você controla um dos membros da banda, coletando itens e armas, desde espadas, machados, até armas de fogo com poderes elementais.

A jogabilidade é bem comum, o jogo não possui uma física fantástica, mas é divertido, chega a lembrar um pouco o velho de guerra Counter Strike, os comandos são fáceis, o que atrai mais o público. Não são muitos os níveis, e o game conta com uma infinidade de monstros e 5 chefes, o mais interessante que a maioria dos monstros tem nomes com referências a banda, seja nomes de músicas, álbuns e afins.


GRÁFICOS:

Os gráficos não são dos mais fantásticos, porém são ricos em detalhes, cores bem definidas que combinam perfeitamente com o ambiente tenebroso em que se passa a história do jogo, além disso, os personágens principais do jogo também tem uma enorme semelhança com os membros da banda, também se não tivessem kkkkk.


TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

A trilha sonora do jogo tem seu lado ruim, e seu lado bom... O lado ruim e que não é só Kiss... tem umas outras musiquinhas chatinhas, mas que combinam com o jogo. Já o lado bom, é que tem Kiss, porém não combina com o jogo. Então gera quase que um Paradoxo. Mas é extremamente fantástico um game possuir como trilha sonora músicas da minha banda favorita, então certamente dou nota alta pra trilha sonora.

Quanto aos efeitos sonoros, eles são bons, porém nada de espetacular, são os grunhidos dos monstrinhos, os barulhos de tiros, barulho dos golpes de armas brancas. Tudo certinho dentro dos conformes, porém sem nenhuma novidade.


MODOS DE JOGO:
 
O game conta com o modo principal, aonde você segue a história, além de um modo multiplayer, aonde por exemplo em uma Lan House, cada um escolhe um personagem e partem para um combate massacrante, bem no estilão do CS mesmo.



DICAS:

Durante o game, pressione a tecla "~" e digite os seguintes códigos:

Listar todos os comandos
ListCommands

Modo Deus
invuln

Sem clipping
noclip

Próxima armadura
nextarmor

Armadura anterior
prevarmor

Próximo inimigo
nextmonster

Inimigo anterior
prevmonster

Give All
gimmiegimmiegimmie

Sem alvo
notarget

Virada em modo Fly
espectador

Ver em outros ângulos
chasecam

Aulas de ciclos
cycleplayerclass

Restart
restartlevel
 
 
 
 
 
 


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:

Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:


CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: É Kiss! Tem músicas do Kiss! A jogabilidade é fácil, gráficos 3D bem bonitinhos, muito sangue e violência, clima bem sombrio, além da fiel representação dos membros da banda.

Contras: O game torna-se bem repetitivo, não possui nenhum puzzle a ser resolvido, e algumas espécies de inimigos possuem poucas variedades.


RESUMINDO:
 
Game obrigatório pra quem é fã da banda, pra quem não é fã, o game pode ser bem divertido até certo ponto, mas vai chegar algum momento que vai ficar meio enjoativo. Mas de toda forma é um bom jogo, quem não tem Dreamcast, pode comprar a versão para PC, que roda até nos computadores mais antigos, e o jogo é bem barato.


GAMEPLAY:



E é isso aí pessoal, esse foi capítulo de número 106 da saga Mario Verde, falamos sobre Kiss: Psycho Circus - The Nightmare Child de PC! Até mais!

Chapter #105 - Addams Family Values


Nome do jogo: Addams Family Values
Desenvolvedora: Ocean Software
Gênero(s): RPG, Aventura
Modos de jogo: Single Player
Ano de lançamento: 1995
Plataformas: Super Nintendo, Mega Drive

Capítulo 105 da saga Mario Verde, e o game dessa semana é uma relíquia dos 16-bits, Addams Family Values foi um game baseado no filme da Família Addams, uma mistura de aventura com RPG com uma temática meio tenebrosa, do mesmo modo que os desenhos e filmes da série.



ENREDO:

Você assume o papel de tio Fester, mais conhecido por aqui como tio Chico, que tem como objetivo encontrar o bebê Pubert, que foi sequestrado por Debby Jelinsky, a vilã que estava tentando entrar pra família. Toda a família parte em busca do bebê, então você certamente encontrará seus parentes no meio das fases também procurando a criança.

A criança está em algum lugar de uma mansão assombrada, cercada por uma floresta imensa, então é bem complicadinho mesmo, o que deixa o game ainda mais emocionante. Fester terá que resolver alguns puzzles, e enfrentar monstros assustadores, felizmente Fester possui magia negra, e é capaz de soltar raios com as mãos, coisa de grande ajuda, além de alguns outros itens que aparecerão para facilitar sua vida mais além.


JOGABILIDADE:
 
O game, como a maioria dos RPGs, exigirá uma longa exploração pelo mapa, passando por diversas partes do mundo Addams. Eu curtia muito esse game, não zerei porque eu não tinha o cartucho, mas aluguei várias vezes, o game é bastante extenso, porém fantástico.
Os inimigos são dos mais variados possíveis, e caso causem danos ao tio Fester, você poderá comer uns biscoitos nojentos e recuperar sua energia. Os comandos também são ultra simples, simplesmente vai andando pelo mapa, ou correndo, e lança raiozinho nos inimigos, na teoria parece bem simples, só que na prática a coisa complica um pouco, a dificuldade do game, principalmente à medida que você for avançando no jogo, vai cada vez e elevando.


GRÁFICOS:

Os gráficos eram muito bonitos, repletos de detalhes, e cores bem sombrias, combinando perfeitamente com a temática do jogo. Todos os personagens foram retratados fielmente também.


TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

Quanto a trilha sonora, as músicas foram bem escolhidas, sempre remetendo ao medo, coisa bem "Addams". Enquanto os efeitos sonoros também ficaram muito bons, da pra perceber até os berros do tio Chico, e assim por diante.


MODOS DE JOGO:
 
Somente o modo principal está presente no jogo, mas não interfere em nada, até porque dificilmente algum RPG contém um modo extra.


DICAS:

Entre com um dos seguintes passwords:

Skull Energy completa, todas as armas e muitos itens
BT2BK5DXZBT7YVBYVKVK:1

Todos os itens e ir direto para a 7ª dungeon
GDZOHCXO9VG V86PKLOSTOW


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:

Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:


CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: O jogo é enorme e muito divertido, puzzles complicadinhos, e todos os personagens estão presentes no game!

Contras: O único modo de salvar o jogo, é conversando com o primo Itt, para pegar o password, e ele aparece pouquíssimas vezes durante o game.


RESUMINDO:
 
Addams Family Values é uma relíquia para colecionadores de games, um jogo muito bom, viciante. O game é praticamente um Zelda da família Addams. Eu como curtia pra caramba o desenho animado, e também assisti o filme, o jogo veio como um presente. Infelizmente esse fantástico game tornou-se uma jóia esquecida.



GAMEPLAY:



E é isso aí pessoal, esse foi capítulo de número 105 da saga Mario Verde, falamos sobre Addams Family Values de Super Nintendo! Até mais!

Chapter #104 - Pocket Monster: Picachu


Nome do jogo: Pocket Monster
Desenvolvedora: DVS Eletronic Co.
Gênero(s): Plataforma, Aventura
Modos de jogo: Single Player
Plataformas: Super Nintendo

Capítulo 104 da saga Mario Verde, e o game de hoje é uma verdadeira merda, mas vale a menção, pois fez parte da infância de alguns pobres mortais como eu,  e estou falando de Pocket Monster! Lançado aqui no Brasil com o nome de Picachu! Isso mesmo, Picachu com C invés de K. Mas tudo bem, o jogo não é oficial mesmo, foi desenvolvido por um fã. Um game composto por gráficos bonitinhos, trilha sonora plagiada e comandos extremamente difíceis, mas não importa, lembro que eu fiquei todo felizão quando ganhei o cartucho da minha mãe.



ENREDO:

O game não possui uma história propriamente dita, mas trata-se de Picachu, um ratinho elétrico que parte em uma aventura, enfrentando monstros e chefões, em busca de algo que não faço a mínima ideia, pois não cheguei ao final do jogo.


JOGABILIDADE:
 
O game tinha uma ideia de jogabilidade bem interessante, porém nada de novo, era pular obstáculos, pular em inimigos, e dar alguns choques do trovão, nas fases também estavam espalhadas vidas, e energéticos que recuperam seus poderes... seria fantástico se os comandos não fossem tão ruins, a resposta do Picachu para com os comandos era lenta, era uma desgraça completa tentar controlar o monstrinho, isso fez o jogo ficar difícil pra caramba, e como o game já não era lá grandes coisas, a galera desistia logo no começo, foi o meu caso também, se não me engano cheguei apenas até a terceira fase.

Então não faço ideia de quantas fases o game possua, até tentei procurar alguma coisa pela internet, mas a galera também não ia muito mais longe do que eu fui, então nada de informações kkkkk, mas se você sabe mais alguma coisa, não deixe de comentar.


GRÁFICOS:

A parte gráfica até que era um pouco agradável, cenários coloridos, os sprites dos personágens até que eram bacanas, alguns pokémons apareciam como inimigos, porém alguns outros monstros que nunca vi na minha vida, e que provavelmente fazem parte de algum outro game apareciam bastante. Porém os gráficos se comparados com outros games de Super Nintendo, são uma verdadeira bosta.


TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

A trilha sonora foi totalmente plagiada do game Bonkers de Super Nintendo, uma cópia descarada hahahaha, podia ao menos ter introduzido alguns temas da série, mas tudo bem.

Os efeitos sonoros eram bonitinhos até, só que eram muito poucos, e ficavam enjoativos muito rapidamente, pois eram os mesmos efeitos basicamente todo o tempo.


MODOS DE JOGO:
 
O modo é somente o principal, aonde você controla Picachu, em uma aventura pra lá de tosca.


DICAS:

Fique longe do jogo
Isso mesmo, a principal dica desse jogo é, mantenha-se longe dele, se por azar avistá-lo, fuja para as colinas o mais rapidamente possível.


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:

Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:


CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: Dizem que a intenção é o que vale, se for isso, parabéns ao desenvolvedor, como não existe game de Pokémon para Super Nintendo, a galera ia a loucura com esse Hack, entenda 'loucura' como quiser. Outro ponto positivo é que apareciam outros pokémons! Me lembro somente do Snorlax, Pinsir e do Porygon, mas ta valendo

Contras: Os comandos são muito ruins, é praticamente impossível controlar o Picachu com perfeição, outro ponto negativasso é a trilha sonora, que foi totalmente plagiada.


RESUMINDO:
 
Pocket Monster: Picachu, foi um game desenvolvido por um fã, com uma proposta genial, mas com o resultado final desgraçante, mas querendo ou não, foi um sucesso de vendas, quase todo mundo que gostava de Pokémon e tinha um Super Nintendo tinha esse jogo, a maior decepção talvez, seja porque as crianças imaginavam que o jogo seria como os fantásticos Pokémons de Game Boy, e quando iniciavam o jogo davam de cara com isso.


GAMEPLAY:



E é isso aí pessoal, esse foi capítulo de número 104 da saga Mario Verde, falamos sobre Pocket Monster: Picachu de Super Nintendo! Até mais!

Chapter #103 - Ayrton Senna's Super Monaco GP II


Nome do jogo: Ayrton Senna's Super Monaco GP II
Desenvolvedora: GG SMS
Gênero(s): Corrida
Modos de jogo: Single Player
Ano de lançamento: 1992
Plataformas: Mega Drive, Master System, Game Gear

Aproveitando o gancho dos 20 anos da morte do nosso herói nacional Ayrton Senna, o capítulo 103 da saga Mario Verde será em homenagem a ele com o game oficial apoiado e orientado por ele próprio, trata-se de Ayrton Senna's Super Monaco GP II, sendo uma espécie de continuação do game Super Monaco GP. O game teve várias melhorias em relação ao seu antecessor, mas segue o mesmo esquema.



JOGABILIDADE:
 
A jogabilidade é bem semelhante ao seu antecessor, mas com uma leve melhora devido as dicas que Ayrton deu para a produtora. Senna também aparece no jogo para dar dica aos gamers de como melhorar cada vez mais nas corridas, algo fantástico para a época, principalmente para os fãs do cara.

São 16 pistas reais e duas pistas fictícias se não me engano, seguindo o mesmo esquema do outro jogo, você cria seu piloto, entra em uma equipe e participa do campeonato mundial de Fórmula 1, e conforme você vai conseguindo resultados, vai melhorando de equipe.

A cada corrida você enfrenta uma espécie de rival, que seria um dos pilotos reais, até o momento que você enfrenta o grande Ayrton Senna em sua McLaren. Não estranhe pois o único nome que você verá licenciado no jogo é o do próprio Ayrton.

Os desgastes de pneus e equipamentos tiveram uma notável melhoria, puxando um pouco mais para a realidade, isso graças aos conselhos de Senna. Se antes a jogabilidade já era excelente, agora ficou sensacional! O mais divertido ainda era ser campeão, pois tio Ayrton ia pessoalmente lhe parabenizar nos boxes da sua equipe.


GRÁFICOS:

Os gráficos melhoraram, mas nem tanto, eram bonitos para a época, com cores vivas e tals, mas poderia ser um pouco melhor, quanto as imagens do Senna no jogo, era um detalhe a mais, e simplesmente fascinante.


TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

A trilha sonora do jogo era horrorosa, mas os efeitos sonoros eram bons, nada fantástico, porém divertidos.


MODOS DE JOGO:
 
Os modos de jogo eram os mesmos de sempre, Campeonato, Corrida única e treino, mas o melhor mesmo fica por conta do modo Championship (Campeonato).


DICAS:

As dicas desse jogo são um tanto quanto bizarras, mas tudo bem, lá vai:

Atropele o bandeirinha
Quando for receber a bandeirada final na última volta, vá pelo canto esquerdo da pista para atropelar o bandeirinha, ele sairá voando.

Jogue com uma moto
Já pensou em disputar a Fórmula 1 com uma moto? Nesse game isso é possível, basta seguir esses procedimentos:
1º Entre em World Championship
2º Em Name Entry, escreva: HANG-ON!
3º Inicie a corrida, retire-se, depois salve a corrida
4º Dê um Reset
5º Entre em Free Practice, escolha a pista e entre em Image Training
6º Pressione simultaneamente: Pra baixo e A
Após isso, você estará guiando a moto do game Hang On!


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:

Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:



CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: O mítico Ayrton Senna além de estar presente no jogo, ainda supervisionou todo o processo de produção do game, com dicas e outras coisas mais, fazendo este ser um dos melhores e mais tradicionais games de corrida da época.

Contras: Músicas horrorosas e a dificuldade do game é muito grande, se bem que isso também pode ser considerado algo bom. 



RESUMINDO:
 
Ayrton Senna's Super Monaco GP II é um dos melhores games de Fórmula 1 da época, merece estar na prateleira de todo amante do automobilismo, a maioria das mudanças em relação ao game antecessor não é perceptível para leigos, mas quem manja mesmo sabe que esse é O Game.


GAMEPLAY:


E é isso aí pessoal, esse foi capítulo de número 102 da saga Mario Verde, falamos sobre Ayrton Senna's Super Monaco GP II de Mega Drive! Até mais!

Confira outros Games Clássicos que você poderá gostar também!