Ads 468x60px

Chapter #102 - 102 Dalmatians: Puppies to the Rescue


Nome do jogo: 102 Dalmatians: Puppies to the Rescue
Desenvolvedora: Crystal Dynamics
Gênero(s): Aventura, Ação, Plataforma
Modos de jogo: Single Player
Ano de lançamento: 2000
Plataformas: Playstation, Game Boy Color, Dreamcast

Capítulo 102 da saga Mario Verde e nada mais propício do que falar do game dos 102 Dálmatas, um joguinho bem divertido que trará aquele sentimento nostálgico a muita gente aí, não é um game fantástico, mas da pra matar algumas horinhas e se divertir com ele, principalmente se você assistiu os filmes e desenhos da série da Disney.



ENREDO:

A história é bem clichê, a malvada Cruela quer obter todos os 102 filhotes para fazer roupas de pele de Dálmatas, Cruela possui uma fabrica de brinquedos diabólicos, que raptam 100 filhotes e entregam a ela.

Somente Dominó (o cachorrinho principal) e Oddbal (conhecida por aqui como Lala, a cadelinha albina) estão livres e precisam libertar os outros filhotes, passando por muitas encrencas e aventuras.


JOGABILIDADE:

A jogabilidade é bastante diferenciada, tem horas que você passeia pelo mapa 3D, outra hora por cenários de plataforma, além de quests e alguns quebra-cabeças. Alguns mini-games são desbloqueáveis, talvez sejam a parte mais divertida do jogo. Além disso o jogo possui diversas fases e alguns chefões para você desafiar.

O game é bastante extenso, cerca de 10 horas de jogatina, e acaba se tornando chato após algum tempo por não ser tão desafiador, afinal é um jogo pra criança. Quanto aos controles, são bem fáceis e não lhe causam nenhuma dificuldade de se acostumar.




GRÁFICOS:

A parte gráfica é uma contradição, por um lado você tem os personagens cartunizados e extremamente parecidos com os do desenho animado, muito bem detalhados por sinal, em outro lado, você nota grandes falhas na parte gráfica, como cenários que demoram a carregar e vão aparecendo do nada, você passa por dentro de alguns cenários contrariando as leis físicas de que 2 corpos não ocupam o mesmo local, entre outras coisas.


TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

A trilha sonora é fraquinha, as músicas são bem irritantes, por outro lado os efeitos sonoros são bem legais, sons de explosões, ossos, latidos, tudo bem encaixadinho com o game, então fica um meio termo entre bom e ruim.


MODOS DE JOGO:
 
Até onde eu me lembre o game só conta com o modo single player, e além da campanha principal, os Mini Games que são desbloqueáveis, são vários joguinhos bem divertidos que não tem nada a ver com a história, como por exemplo um mini game de Golf, divertido.


DICAS:

Capture JasperQuando Jasper começar a te perseguir, corra para a colméia que o esquilo mostrou para você.

Capture Horace
Quando achar Horace em Piccadilly. Aperte quadrado para abrir o bueiro. Então deixe o cachorro fazer todo o trabalho para apanhar Horace.

Derrote Cruela 1
Aperte bolinha para atirar abacaxis. Você terá que derrubá-la 5 vezes.

Achar Lucky
Entre atrás da cadeira da casa e empurre-a até a parede.

Achar Rolly
Entre na cozinha e olhe dentro do armário.

Achar um osso escondido
Entre na caixa registradora na fase da loja de brinquedos e aperte triângulo e quadrado. A caixa abrirá e um osso vai aparecer.


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:

Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:


CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: O game é todo colorido e é bem divertido em certos momentos, os Mini Games são pontos super positivos para o jogo.

Contras: As músicas são péssimas e o jogo enjoa fácil, apesar de ser extenso, o game é muito fácil.


RESUMINDO:
 
102 Dalmatians: Puppies to the Rescue não é um jogo que eu compraria se ainda tivesse Playstation, mas para baixar da internet até que compensa, principalmente se você gostava de assistir aos filmes e desenhos da série.



GAMEPLAY:

E é isso aí pessoal, esse foi capítulo de número 102 da saga Mario Verde, falamos sobre 102 Dalmatians: Puppies to the Rescue de Playstation! Até mais!

Chapter #101 - Journey


Nome do jogo: Journey
Desenvolvedora: Midway
Gênero(s): Ação
Modos de jogo: Single Playe
Ano de lançamento: 1983
Plataformas: Arcade

Mais um capítulo da saga Mario Verde Games, capítulo este de número 101, e o game de hoje é Journey! Não confunda com o game Journey mais atual, ou o game Journey de 89, estamos falando do clássico game da Banda de Rock Journey, lançado em 1983. Um jogo bem antigo, no maior estilão dos arcades clássicos, mas com uma diferença, a trilha sonora é toda da banda em 8-bits, além da presença dos membros da banda, pra quem curte rock é bem interessante conferir.



ENREDO:

A história do jogo é meio tosquinha, os membros da banda tiveram seus instrumentos roubados e escondidos em outros planetas, a banda Journey parte com seu navio voador em direção aos planetas, para realizar desafios e recuperar seus instrumentos.


JOGABILIDADE:

Um jogo estilo games clássicos do Arcade, as fases basicamente são divididas em duas partes, na primeira, o personagem principal da fase, passa por desafios em busca de seu instrumento, enquanto na segunda parte, ele utiliza seu instrumento como arma para derrotar os inimigos.

Ao reunir todos os instrumentos, a banda vai para um palco onde se apresentam em um show, nessa parte você controla o segurança da banda, o Herbie. Tendo como objetivo evitar que os fãs alucinados invadam o palco. Caso algum fã suba ao palco, como todo fã é meio neurótico, ele irá roubar os instrumentos da banda, e a saga começara novamente, porém com os níveis cada vez mais difícil, e o game fica nesse looping infinito até que você fique sem vidas.


GRÁFICOS:

Os gráficos são bastante comuns e com cores bem vivas, dando impressão que foi feito no Paint, mas ele tem um ponto positivíssimo, os rostos dos membros da banda são fotos digitalizadas dos próprios, colocadas sobre um corpo animado, isso caracterizou bem a banda, além de dar um tom bem cômico para o game.


TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

A trilha sonora é fantástica, eu como fã de Journey, apreciei muito seus clássicos em versões 8-bits. Quando aos efeitos sonoros, são comuns e toscos.



MODOS DE JOGO:
 
Infelizmente o game conta apenas com o modo principal e Single Player, seria interessante se houvesse um modo Multi Player aonde seu amigo escolhesse outro membro da banda para auxiliá-lo, mas tudo bem, o jogo não perde seu brilho por causa disso.


DICAS:

Infelizmente não tem dica aqui, tente não morrer, pois senão a coisa fica feia e será cada vez mais difícil.


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:

Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:



CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: O único ponto positivo do jogo é pra quem é fã da banda, pois a trilha sonora e a presença dos artistas são a única coisa que realmente conta ponto pro game.

Contras: Poucos esquemas de fases, as mais variadas fases são todas repetitivas, além dos efeitos sonoros simplistas.


RESUMINDO:
 
Journey é um jogo interessante, e nada mais, enjoa rápido e não trás nenhuma inovação, mas continuando a bater na mesma tecla, é um jogo que vale a pena conhecer quem é fã da banda.


GAMEPLAY:



E é isso aí pessoal, esse foi capítulo de número 101 da saga Mario Verde, falamos sobre Journey de Arcade! Até mais!

Chapter #100 - Super Smash Bros.


Nome do jogo: Super Smash Bros.
Desenvolvedora: Hall Laboratory
Gênero(s): Ação, Luta, Crossover
Modos de jogo: Single Player / Multiplayer
Ano de lançamento: 1999
Plataformas: Nintendo 64

Yeah! Capítulo 100 da saga Mario Verde Games, e como hoje é uma data digamos 'especial', o game teria que ser especial, e o que há de mais especial  do que um game que reúne vários personagens clássicos de outros games, um crossover! E hoje falaremos de um dos mais clássicos crossovers dos games, Super Smash Bros., estreando também como nosso primeiro post sobre um game de Nintendo 64. Um game muito divertido com vários personagens lutando entre si, em um combate pra lá de legal.



ENREDO:
O game não conta com uma história propriamente dita, mas seria algo como, um belo dia Super Mario estava afim de sentar a porrada em alguém, quando teve uma grande ideia, convidou seus melhores amigos e desafiou-os para um combate mortal, todos aceitaram e nasceu Super Smash Bros.

JOGABILIDADE:
Um dos pontos mais altos do game é a jogabilidade, diferente da maioria dos games de luta, aqui você pode andar por alguns locais diferentes do cenário, inclusive coletando itens para usar contra seus rivais. Os personagens trouxeram características próprias de seus games, deixando tudo mais divertido, além dessas características, ainda há os estágios e as músicas características. O objetivo geral das lutas é derrubar seus adversários da arena, até que eles fiquem sem vidas

Como cada personagem tem suas características próprias, seus atributos também serão diferenciados, por exemplo o Fox é bem rápido, Link é bem forte, Donkey Kong bem resistente, e assim por diante. Falando em personagens, vamos apresentá-los:


Mario, Luigi e Yoshi da série Super Mario Bros.
Donkey Kong da série Donkey Kong Country
Link da série The Legend of Zelda
Samus da série Metroid
Capitão Falcon da série F-Zero
Ness da série EarthBound
Kirby da série Kirby
Fox da série Star Fox
Pikachu e Jigglypuff da série Pokémon



GRÁFICOS:

Os gráficos de Super Smash Bros ficaram muito bonitos, personagens fieis as suas respectivas séries com um tom tridimensional característico do Nintendo 64, mas eles poderiam ser melhores, visto que o game foi um dos últimos lançados na plataforma, e seus gráficos assemelham-se aos primeiros, mas tudo bem.

Os cenários ficaram muito bons, lembram bastante os cenários dos jogos próprios, todas as arenas foram bem adequadas proporcionando lutas mais divertidas.


TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

A trilha sonora é o fator mais fantástico presente no game, as músicas clássicas de Zelda, Donkey Kong, Pokémon, Mario entre outras, com uma roupagem nova, super nostálgico, ou melhor, fantástico, espetacular, proparoxítona!

Os efeitos sonoros também são muito positivos, sons característicos dos personagens e dos itens podem ser notados facilmente, parabéns aos produtores.


MODOS DE JOGO:

O modo Single Player trata-se de uma sequencia de 10 desafios até a luta com o último chefe, os desafios variam de acordo com o personagem que você escolheu.
O modo Multiplayer é aonde você convida seus amiguinhos pra lutarem com você ou contra você, lembrando que com o Nintendo 64 é possível jogar em até 4 pessoas, diversão garantida.
O modo Time, você terá que derrotar o maior número de inimigos possível em um curto período de tempo.
O modo Stock, semelhante ao Time, porém ele termina quando seu estoque de vidas terminar.
O modo Fre-for-All, são lutas amistosas (nem tanto).
O modo Team Battle, são lutas amistosas em equipes.
Além de um modo de treino.




DICAS:

Personagens Secretos:
Jigglipuff: Termine o modo Single Player com qualquer personagem. Após vencer o chefe, batalhará contra ele. 
Capitão Falcon: Termine o modo Single Player em menos de 23 minutos. 
Luigi: Termine o Bônus 1 Practice com todos os personagens (exceto os secretos). 
Ness: Termine o modo Single Player com qualquer personagem, com máximo 3 vidas e no modo normal.

Mushroom Kingdoom:
Termine o modo Single Player com todos os personagens (exceto os secretos),você irá liberar a fase.

Sound Test:
Termine o jogo inteiro no Bônus Practice 1 e 2, com todos os personagens, incluindo os secretos. Você ganhará o Sound Test, para ouvir as nostálgicas músicas do jogo.


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:
Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:



CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: A trilha sonora é fantástica, somado a diversão das batalhas e aquela sensação boa de escolher personagens de games variados torna o jogo muito divertido. A animação de abertura também é bem divertida.
Contras: Os gráficos poderiam ser um pouco melhores, e poderiam ter mais personagens, algo que foi resolvido nos novos games da franquia. Outro contra é ele ser exclusivo de Nintendo 64, ninguém tinha esse vídeo-game por aqui, e só pude jogar anos depois no emulador.


RESUMINDO:

Super Smash Bros. é um jogo super divertido, para todas as idades, apesar de ser um game de luta, até criancinhas podem jogar, pois não contém tanta violência assim hahahaha. Outra coisa fantástica no game, é que além dos personagens selecionáveis que temos a disposição, nos cenários aparecem outros personagens das séries, como por exemplo outros Pokémons, outros bichos do Super Mario Bros. entre tantos outros.


GAMEPLAY:



E é isso aí pessoal, esse foi capítulo de número 100 da saga Mario Verde, falamos sobre Super Smash Bros. de Nintendo 64! Até mais!

Chapter #099 - Road Fighter


Nome do jogo: Road Fighter
Desenvolvedora: Konami
Gênero(s): Corrida
Modos de jogo: Single Player
Ano de lançamento: 1984
Plataformas: Nintendo

Capítulo 99 da saga Mario Verde e o jogo de hoje é um clássico, horas e horas nesse joguinho difícil da pohha, claro que estou falando de Road Fighter, não, não é um game de luta, é um game de corrida bem simples e bem curto, porém com uma dificuldade elevada, levando em conta as limitações do console da época, o jogo até que era bastante divertido.


JOGABILIDADE:
A jogabilidade de Road Fighter é extremamente simples, você só precisa acelerar e fazer as curvas, além claro de se preocupar com os obstáculos que podem aparecer pela frente, como por exemplo outros carros, caminhões, poças de óleo etc.

Do lado esquerdo da tela aparece uma barra com o percurso da corrida, ao alcançar a bandeirinha verde você termina a corrida. Do lado direito mostra seu Score (sim, praticamente todos os games antigos eram baseados em score), além da velocidade do seu carro e a quantidade de combustível.

Quanto a velocidade, esse carrinho vermelho era rápido pacas, chegando rapidamente a absurda velocidade de 400km/h! Um fator interessante é que o câmbio é manual, o carrinho possui duas marchas, ao segurar B você estará na primeira marcha e poderá atingir os 200km/h, após isso, segure A para mudar para a segunda marcha alcançando os inacreditáveis 400km/h. Caso você parta do 0km/h já na segunda marcha, a sua aceleração será muito lenta, portante é importante largar com a primeira.

Já em relação ao combustível, você perceberá que ele irá diminuindo rapidamente, sendo necessário abastecer seu veículo praticamente toda hora, aí vem a pergunta, como eu abasteço o carro no meio da corrida? A resposta é simples, no jogo irão aparecer alguns carrinhos de cores específicas:

Amarelinho: anda em linha reta
Vermelhinho: anda fazendo zig-zag
Verdinho: movimentos aleatórios
Verdinho com Vermelhinho: combustível

Ou seja, quando encontrar esse carro verdinho com vermelho, você literalmente o atropela (passa por cima) e seu combustível irá aumentar um pouco, bizarro ou não, é assim que a coisa funciona.



GRÁFICOS:

A parte gráfica é bem simples, porém com cores vivas, isso deixa o game com um tom agradável, os cenários são bem trabalhados, e os sprites dos carros são praticamente os mesmos, mudando apenas as cores.


TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

A trilha sonora é inexistente, você ouve uma musiquinha tosca antes da corrida, e a partir da largada só escuta o ronco do motor, o que é válido, pois eu sempre preferi escutar o motor do carro ao invés de uma música qualquer em games de corrida, embora o som do motor nesse caso seja bem tosquinho.

Os efeitos sonoros ficaram legais, barulho de freadas, o 'som do vento' nas ultrapassagens, tudo perfeitinho.


MODOS DE JOGO:

Somente o modo principal, composto por 4 corridas em uma dificuldade considerável.


DICAS:

Ganhe bônus de 1000 pontos no score:

Consiga completar mais de 3/4 da corrida sem bater nenhuma vez, impressionantemente o Super Homem aparecerá voando no canto esquerdo da tela, indicando que você conseguiu.


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:

E agora a avaliação do game Road Fighter



CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: Um joguinho bem divertido que prova que as vezes a simplicidade também pode ser bem divertida, outro ponto positivo é que o Super Homem aparece kkkk.

Contras: O game tem somente 4 fases, isso faz com que se enjoe de jogar em menos de 15 minutos.


RESUMINDO:

Road Fighter é uma faca de dois gumes, ao mesmo tempo em que a simplicidade predomina, com um game básico, curto e sem muita emoção, o jogo pode tornar-se divertido dependendo da circunstância, principalmente se você estiver acompanhado de um amigo. Mas é um game que com certeza eu indico, em 5 minutinhos você poderá fechar o game e adicionar mais um para o seu livro de games batidos!


GAMEPLAY:



E é isso aí pessoal, esse foi capítulo de número 99 da saga Mario Verde, falamos sobre Road Fighter de Nintendinho! Até mais!

Confira outros Games Clássicos que você poderá gostar também!