Ads 468x60px

Chapter #119 - Super Shot Soccer


Nome do jogo: Super Shot Soccer
Desenvolvedora: Tecmo
Gênero(s): Futebol
Modos de jogo: Single Player / Multiplayer
Ano de lançamento: 2002
Plataformas: Playstation

Último capítulo do ano, capítulo este de número 119, com um game pra lá de maluco, onde a lógica do futebol não existe. Estamos falando de Super Shot Soccer! Se fôssemos comparar com outro estilo de jogo, este seria um Mario Kart de Futebol, ou então com o clássico anime Super Campeões. É um game super divertido, e em uma reunião de amigos, pode se tornar hilário e render inúmeras risadas.



JOGABILIDADE:

A jogabilidade de Super Shot Soccer é o grande diferencial do game, pra galera que está acostumada com Fifas e Pro Evolutions, poderá achar bem estranho no começo, mas vai se entregar com a zoeira que é este jogo.

É um game de seleções, então primeiramente você escolhe um país e parte pra jogatina. Sobre o diferencial, vocês já devem ter notado que não se trata de um game comum, pois cada seleção tem suas habilidades especiais, pra lá de cômicas.

Cada seleção tem seus 'golpes' especiais que podem fazer a diferença em relação ao placar do jogo... mas o que vem a ser essas habilidades? Cada país possui 3 tipos de habilidades, uma de chute, uma de defesa e uma pra roubar a bola.

Vamos citar alguns exemplos de habilidades, a seleção do Estados Unidos pode invocar a Estátua da Liberdade, enquanto o Brasil invoca o Cristo Redentor! Habilidades de defesa como invocar um barco Viking gigante, ou a própria Muralha da China, além de uns chutes monstros, que mais parecem mísseis teleguiados, até mesmo alguns goleiros possuem super socos, e podem fazer gol de uma área a outra! Bem, é muito difícil explicar isso, só vendo mesmo pra crer!





GRÁFICOS:

Os gráficos são bem fraquinhos, perdem feios para os games Winning Eleven por exemplo, que foram lançados na mesma época. Mas como o objetivo do game é a diversão com sua bizarrice, então os gráficos fracos não chegam a atrapalhar em nada.



TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

O game conta com uma trilha sonora bem comum, músicas animadinhas até, mas não causam uma boa impressão. Porém na abertura e encerramento do jogo, as músicas são reais, de bandas japonesas, são músicas boas até, porém são só nesses vídeos.

Quanto aos efeitos sonoros, estes estão bem divertidos, os barulhos de choque, dos super chutes e afins, ficaram muito bons, da certa emoção as partidas.


MODOS DE JOGO:

Super Shot Soccer conta com 4 modos de jogo, o Torneio Mundial, Liga Internacional, Copa Internacional e Amistoso. Mas o mais divertido mesmo é jogar Multiplayer e dar risada com seus amigos!




DICAS:

Liberar a Seleção de Hong Kong
Complete o modo Torneio Mundial

Liberar a Seleção da Holanda
Complete o modo Liga Internacional

Liberar a Seleção da Iugoslávia
Complete o modo Torneio Internacional


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:

Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:




CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: É um game super divertido, da pra passar horas e horas jogando com um amigo. Porém ao se jogar sozinho, o game torna-se chato bem rapidinho, mesmo que você adore Futebol.

Contras: Os gráficos são fracos, e a trilha sonora é fraca.


RESUMINDO:

Super Shot Soccer é um bom passatempo, divertido e diferente, porém nada mais. Não é um game que vale a pena ficar exposto na sua prateleira, mas é interessante jogá-lo pelo menos uma vez pra sentir o gostinho dessa maluquisse. Eu particularmente gosto muito, por isso a nota elevada do game!




GAMEPLAY:


E é isso aí pessoal, esse foi o capítulo de número 119 da saga Mario Verde, falamos sobre Super Shot Soccer de Playstation! Até mais!

Chapter #118 - Daze Before Christmas


Nome do jogo: Daze Before Christmas
Desenvolvedora: Funcom / Sunsoft
Gênero(s): Plataforma
Modos de jogo: Single Player / Multiplayer
Ano de lançamento: 1994
Plataformas: Super Nintendo, Mega Drive

Capítulo 118 da saga Mario Verde e então é Natal! E para comemorarmos o natal, nada mais justo do que falar sobre um game natalino, e é bem o caso de Daze Before Christmas! O game de Super Nintendo em que controlamos o Papai Noel. Sim! O Papai Noel, um ótimo game de plataforma, com boa jogabilidade e uma trilha sonora beeeeeem natalina.



ENREDO:

Era uma vez, um boneco de neve muito malvado, que havia aprisionado os elfos e as renas do Papai Noel, e esse boneco de neve era tão malvado, mas tão malvado, que queria acabar com o Natal! Cabendo assim ao próprio bom velhinho salvar o Natal, resgatando suas renas e seus amiguinhos elfos, além claro de destruir o malvado boneco de neve.

Convenhamos que esse enredo é super infantil, mas também queriam o que, um game de Papai Noel... Mas nem tudo é alegria! O Papai Noel não é tão bom velhinho quanto se parece. Esse Papai Noel possui um segredo, quando ele bebe café, ele se transforma em Saga, o cavaleiro de Ouro de Gêmeos e ativa a sua dupla personalidade e seu lado maligno entra em ação.

Como todos devem saber, Papai Noel em inglês é Santa-Claus, então sua personalidade maligna se chama Anti-Claus, e ele é tão maligno que não tem piedade mesmo dos pobres coitados inimigos.



JOGABILIDADE:

A jogabilidade se assemelha com a maioria dos games de plataforma, você pode sair correndo, pular, se agarrar e utilizar seus poderes mágicos de Papai Noel para transformar os inimigos em presentes de Natal.

Como dito anteriormente, ao beber um café, Papai Noel se transforma no Anti-Claus, é tão medonho que além de ser vermelho, possui chifres! O Anti-Claus é tão poderoso, que ele é praticamente invencível, porém por ser do mal, é incapaz de utilizar as magias do Papai Noel, portanto a principal arma do capetinha é utilizar o seu saco para bater nos inimigos! Sim, seu saco de presentes!

O legal é que não são apenas aquelas fases comuns em que você sai andando pra direita, existem umas fases bem maneiras onde você vai voando no seu trenó, ou até mesmo ir numa Kintoun nuvem voadora. Além claro de alguns chefões malucos que aparecem no jogo.



GRÁFICOS:

A parte gráfica do jogo é bem legal, repleto de detalhes pelas frases, o jogo de cores também ficou muito bom. Até mesmo os cenários são bem detalhados. O Papai Noel também ficou ótimo, super caracterizado, além claro de sua forma malvada, que também ficou boa, só ainda não entendo por que os chifres, mas tudo bem.


TRILHAS SONORAS E EFEITOS SONOROS:

As músicas ficaram com uma instrumentalização muito boa, e por ser um game de Natal, obviamente que as músicas também são de Natal, o que acaba deixando o jogo um pouco enjoativo, pois só ouvir músicas de Natal cansa.

Quanto aos efeitos sonoros, estão legais também, nada de extraordinário, mas também não tem do que reclamar.


MODOS DE JOGO:

O game conta apenas com um modo de jogo, composto de 24 fases se não me falha a memória além dos chefes, algo bom para um Super Nintendo, visto que a maioria dos jogos possuem bem poucos níveis. O game conta também com o modo Multiplayer, que é a mesma coisa que o Single Player, só que você joga com o Player 2 também, estilo Super Mario Bros. Porém sem o Luigi, você joga com o Papai Noel também.



DICAS:

Seleção de fase
Na tela de título aperte rapidamente B, A, baixo, esquerda, A, Start.


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:

Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:



CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: É um game diferente, e a sacada do Papai Noel ter dupla personalidade foi uma boa. As músicas natalinas são legais e os gráficos bem bonitos.

Contras: A trilha sonora, apesar de ser legal, enjoa muito rápido. Outro ponto negativo é que a história é muito infantil... Papai Noel deveria estar munido de uma Winchester e meter bala nos ratinhos, aí sim ia ficar maneiro.


RESUMINDO:

Daze Before Christmas é um game comum com uma proposta bem diferente dos normais, pois é um game de Natal, vai ser bem difícil você encontrar outros games do estilo que apresentem toda essa capacidade que esse jogo possui. É um game divertido, eu joguei muito pouco, mas é legal, vale a pena, principalmente nessas épocas de Natal.


GAMEPLAY:


E é isso aí pessoal, esse foi o capítulo de número 118 da saga Mario Verde, falamos sobre Daze Before Christmas de Super Nintendo! Até mais!

Chapter #117 - Sunset Riders


Nome do jogo: Sunset Riders
Desenvolvedora: Konami
Gênero(s): Ação
Modos de jogo: Single Player, Multiplayer
Ano de lançamento: 1993
Plataformas: Super Nintendo, Arcade, Mega Drive

Capítulo 117 da saga Mario Verde, e o capítulo de hoje falaremos sobre um game de bang bang! Isso mesmo, que saudade dos tempos do velho oeste, era épico. O game se chama Sunset Riders, gráficos super coloridos e uma trilha sonora de arrepiar fizeram desse jogo um sucesso na época.



ENREDO:

A história desse jogo de faroeste é bastante simples, 4 mercenários, caçadores de recompensas percorrem os quatro cantos do Velho Oeste dos Estados Unidos a procura dos bandidos mais temíveis da época. Em cada fase do jogo, aparece o famoso cartaz de procurado, com a foto do bandido e sua recompensa, vivo ou morto.

Na introdução do jogo, composta por uma musica fodastica de velho oeste, é mostrado os personagens principais em ação, cada qual com suas características próprias:

Steve: É loiro dos olhos azuis, usa chapéu e botas rosas, com uma camisa amarela. Steve é o típico galã da época. Usa revolveres como arma, com tiros rápidos porém cobrem uma pequena área.

Billy: Loiro dos olhos azuis com um nariz pontudo. Usa uma roupa azul. Assim como Steve, Billy também usa revolveres.

Bob: Bob também é loiro, pra variar kkkk. Longos cabelos e olhos azuis também, usa roupas verdes. Utiliza espingardas como arma, com tiros bem mais lentos que os revolveres, porém cobrem uma área bem maior.

Cormano: É o barbado do grupo, cabelos escuros e olhos tom violeta. Usa roupas vermelhas com detalhes em rosa. Assim como Bob, Cormano também utiliza espingardas. Ele é o único mexicano do grupo, logicamente ele usa um sombreiro.

Cada fase do jogo tem um chefão, no caso o vilão fora-da-lei procurado, o game conta com 8 fases bem variadas, desde andar a pé, andar a cavalo, dentro do bar e até mesmo a bordo de um trem.


JOGABILIDADE:

A jogabilidade em si, lembra muito o jogo Contra, com tiros praticamente infinitos. A movimentação dos personagens lembra um pouco os games beat 'em up, podendo se mover livremente pelo cenário.

Os comandos também são super simples, além de atirar claro, você pode pular, ir para os lados e dar uma espécie de rasteira, bem útil pra desviar de alguns tiros. Uma parte interessante do jogo, é que não são só bandidos que matam você, mas também os tradicionais touros podem acabar te acertando!

Dentre os inimigos comuns, apenas um tiro é o suficiente para derrubá-los, assim como eles, você também cai se levar um único tiro, felizmente existem inúmeras vidas. Já os chefes de cada fase, são quase imortais, é necessário dar muitos e muitos tiros para matá-los, mas também, se não fosse assim não teria graça né?



GRÁFICOS:

Por ser um game bem antigo, um dos primeiros do Super Nintendo, ele não conta lá com os melhores gráficos da série. Porém seu jogo de cores é muito bom, os efeitos de sombras e os detalhes do game são ricos. Apenas os backgrounds que poderiam ser um pouco melhores.

Quanto aos personagens, não temos o que reclamar, todos possuem suas características próprias, e bastante detalhes que diferenciam um do outro muito bem. Os chefes também tem visuais bacanas. Bom, como todo mundo já esta cansado de saber, a política de games do Super Nintendo praticamente não permitia sangue, exceto no Mortal Kombat que eu me lembre, portanto faltou umas gotas de sangue para melhorar o game :P


TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

Você clicou nos players aí em cima né? Se não clicou vai clicar agora! As músicas do jogo são fantásticas, dão uma emoção bem maior no game. Além claro de todas se remeterem ao ambiente do faroeste.

Quanto aos efeitos sonoros, também estão todos muito bons, com destaque para a voz dos personagens, algo raro em um Super Nintendo.


MODOS DE JOGO:

Bom, o game conta somente com dois modos, o Single Player e o multiplayer, que são exatamente iguais, porém claro, o multiplayer é bem mais divertido pois você joga com seu melhor amigo ali e vai poder dar muitas risadas. Isso é algo que eu sinto bastante falta hoje em dia, praticamente você só joga online quando vai jogar com outra pessoa, era bem mais legal nessa época onde seu amigo ia na sua casa pra jogar Super Nintendo com você.


DICAS:

Seleção de fases e Sound Test
Na tela de escolha do personagem aperte rapidamente: L, L, L, L, L, R, R, R, R, R. Escolha um personagem e pronto, estará tudo liberado.

Vidas extras e Continues extras
Na tela do menu principal aperte rapidamente: R, L, R, L, R, L, A, R, L, R, L, R, L, Y. Após isso entre no menu das opções, e estará disponível as vidas e continues extras.

Utilizar o mesmo personagem no multiplayer
Comece o jogo normalmente no controle 1, perca e quando aparecer a mensagem 'Continue', aperte Start no controle 2 e selecione o mesmo personagem que o jogador 1 estava usando, depois é só apertar Start no controle 1 e os dois estarão usando o mesmo personagem. (tosco bagarai)


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES

Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:



CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: O game é muito divertido e repleto de ação, sua trilha sonora é uma das melhores e o ambiente velho oeste me agrada muito.

Contras: O game é muito curto, da pra zerá-lo facilmente com uma meia hora de jogatina.


RESUMINDO:

Sunset Riders é um ótimo game, eu particularmente adoro. Uma curiosidade é que em suas versões de Super Nintendo e Mega Drive, no modo multiplayer só é possível jogar em duas pessoas. Já na versão Arcade, em alguns fliperamas específicos, era possível jogar em 4 pessoas! Enfim, se você ainda não jogou, e está a procura de um game antigo para matar saudade, Sunset Riders é uma ótima opção.



GAMEPLAY:


E é isso aí pessoal, esse foi o capítulo de número 117 da saga Mario Verde, falamos sobre Sunset Riders de Super Nintendo! Até mais!

Chapter #116 - Street Chaves: O Lutador da Vila


Nome do jogo: Street Chaves: O Lutador da Vila
Desenvolvedora: Cyber Gamba
Gênero(s): Luta
Modos de jogo: Single Player, Multiplayer
Ano de lançamento: 2003
Plataformas: PC

Mais um capítulo da saga Mario Verde, capítulo de número 116, é com pesar no coração que recebemos a notícia do falecimento do senhor Roberto Bolaños, o Chaves da turma do Chaves, que nos trouxe muita alegria com seus programas de televisão, bom, não precisamos falar nada sobre ele, pois todo mundo já o conhece muito bem. Como forma de homenageá-lo, o game de hoje é um fã game, desenvolvido pela galera da Cyber Gamba, intitulado Street Chaves: O Lutador da Vila, que nada mais é que um Street Fighter com os personagens da turma do Chaves! Hilário!




ENREDO:

Um belo dia, os moradores da vila resolveram se vingar dos seus algozes, sentando a porrada neles... Tá, não é uma baita história, e fui eu que a inventei baseado nos fatos do jogo, mas não importa, o game é maneiro pacas!



JOGABILIDADE:

A jogabilidade é um ponto alto do game, cada personagem foi baseado em um outro já existente das famosas franquias Street Fighter, Fatal Fury e afins. Socos, chutes, voadoras e todos os golpes mais famosos dos games de luta estão presente, além claro de características próprias para cada personagem, além claro de seus golpes especiais.

Os comandos são bem simples e também se assemelham muito ao clássico Street Fighter II, com soco forte, soco fraco, chute forte, chute fraco, meia lua e soco e afins, cada qual com seus golpes.




GRÁFICOS:

A parte gráfica do game é muito interessante, foram reproduzidos os cenários mais famosos do seriado, todos ricos em detalhes, respeitando até o posicionamento dos objetos... foram utilizadas imagens reais, até para os personagens, dando aquele aspecto maneiro estilo Mortal Kombat!

Durante as lutas ainda é possível ver outros personagens da vila no plano de fundo, fazendo uma espécie de incentivo para os lutadores, fantástico! Já quanto aos jogáveis, ficaram todos maravilhosos, já que utilizaram fotos reais dos atores.


TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

A trilha sonora apesar da baixa qualidade dos áudios, é memorável, já que foram utilizadas as músicas clássicas do seriado.

Quanto aos efeitos sonoros, utilizaram as vozes dos personagens dos games Street Fighter e companhia, isso ficou meio a desejar e não curti muito... mas também seria querer demais ouvir a voz dos dubladores originais falando "Hadouken" "Tatsumaki Sempu Kyaku" "Shoryuken" em um fã game.



MODOS DE JOGO:

O game conta com dois modos, o Single Player, aonde você escolhe um dos 15 lutadores, aonde cada um tem um objetivo. Por exemplo, ao escolher o seu madruga, seu objetivo é recuperar seu violão que foi roubado pela Dona Florinda, já ao escolher o Quico, seu objetivo é recuperar sua bola que foi pega pelo Chaves, e assim por diante. Para isso você terá que enfrentar uma série de 8 lutas, até chegar no chefe final, que no caso é o algoz do personagem escolhido.

Os personagens selecionáveis são os mais característicos da série, temos o Chaves, Seu Madruga, Chiquinha, Quico, Dona Florinda, Professor Girafales, Seu Barriga, Bruxa do 71, Paty, Nhonho, Godines, Sr. Furtado, Jaiminho, Dona Neves e a Glória.

O outro modo de jogo é o multiplayer, que nada mais é do que jogar um X1 com o seu amigo.


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:

Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:



CURIOSIDADES:

Uma continuação do game, em 3D foi iniciada, com o nome de Chaves Arena, foi lançada uma demo jogável com 2 personagens, Seu Madruga e Chaves, e dois cenários. Porém por algum motivo que não se sabe, o desenvolvimento do game está parado até agora.



CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: Um dos poucos games da turma do Chaves existentes, e aparentemente o único de luta. Os gráficos estão muito legais, e a temática é fantástica.

Contras: Os efeitos sonoros não ficaram muito bacanas, e poderia ter o Chapolim Colorado como personagem secreto. O game fica enjoativo muito rápido.


RESUMINDO:

Um game super divertido, principalmente pra quem gosta de luta, e é claro, de Chaves. Da pra passar algumas horas se divertindo. Eu já joguei bastante e sabia dar quase todos os golpes hehehe.

Fica a nossa homenagem ao grande mestre Roberto Bolaños que nos proporcionou anos de alegria com o seu humor inocente!


GAMEPLAY:


E é isso aí pessoal, esse foi o capítulo de número 116 da saga Mario Verde, falamos sobre Street Chaves: O Lutador da Vila de PC! Até mais!

Chapter #115 - Biker Mice From Mars


Nome do jogo: Biker Mice From Mars
Desenvolvedora: Konami
Gênero(s): Corrida
Modos de jogo: Single Player, Multiplayer
Ano de lançamento: 1994
Plataformas: Super Nintendo

Mais um capítulo da saga Mario Verde, capítulo de número 115! O game de hoje é um clássico dos clássicos, Biker Mice From Mars de Super Nintendo! Inspirado no desenho de mesmo nome, ou Esquadrão Marte aqui no Brasil, possui uma jogabilidade muito semelhante ao Rock & Roll Racing, é um jogo super divertido e emocionante, os gráficos são ótimos e a trilha sonora é fodástica!




ENREDO:

Um game de corrida geralmente não conta com uma história, diferente do desenho animado, aonde uma raça de ratos motociclistas que viviam em Marte foram dizimados por alienígenas malvados, no game simplesmente você escolhe um dos ratos, ou dos demais aliens e parte para os desafios.



JOGABILIDADE:

O game possui comandos ultra simples e ágeis, se você já domina o Rock & Roll Racing, não terá dificuldade alguma com o game. Caso contrário poderá demorar um pouco para se acostumar com o ângulo da câmera do game, mas não é nada assustador.

As corridas são sempre com você e mais 5, as pistas estão repletas de itens que você poderá pegar para atingir seus adversários, além claro de dar uns upgrades na sua motoca. O game conta com 6 pilotos diferentes, cada qual com atributos específicos, mas o mais bacana é a Inteligência Artificial dos personagens, conforme os níveis vão ficando mais difíceis, a inteligência dos seus rivais também fica mais elevada.

Os circuitos são um bom diferencial do game, pistas relativamente simples, mas algumas com curvas bizarras, tudo para dar mais emoção a jogatina. Como sempre, algumas pistas são iguais ao Rock & Roll Racing, que curiosamente não é da mesma desenvolvedora do Biker Mice From Mars.




GRÁFICOS:

A parte gráfica do game é muito bem feita, os próprios circuitos são repletos de detalhes, e os pilotos são verdadeiros homólogos ao desenho animado. Está longe de ser o melhor gráfico do Super Nintendo, mas é realmente bom, o que mais gosto são as cores bem vivas presentes no game.


TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

A trilha sonora é fantástica, músicas super pesadas, é rock n' roll puro! Combina totalmente com a temática do jogo, mandaram bem pacas na escolha das trilhas!

Quanto aos efeitos sonoros, também são muito bons, desde os roncos das motos, até as derrapadas. Mas o melhor mesmo é a voz dos personagens, que claramente podem ser ouvidas durante as corridas, fantástico!


MODOS DE JOGO:

O modo principal do game é o Single Player, aonde você escolhe um personagem e parte para as mais variadas corridas em todo tipo de pista maluca.

E o game conta também com o modo Multiplayer, que não tem nada de diferente do modo Single, tirando o fato da tela ser dividida em 2. Existe também o modo Batalha, onde o objetivo principal não é vencer as corridas, e sim eliminar os adversários, ambos os modos bem divertidos.


DICAS:

Largada turbinada:
Quando aparecer o 3-2-1 da largada, fique apertando B rapidamente para soltar um turbo e tomar a liderança da corrida logo no início.

Dificuldade Super Hard:
No menu principal com o controle 2 aperte: Cima, X, Esquerda, Y, Baixo, B, Direita, A, Cima, X.
Se você tiver apertado certinho, uma risada será ouvida.

Passwords para começar na 1ª corrida com tudo equipado:



AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:

Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:




CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: Biker Mice From Mars é um game que cumpre com a sua proposta principal, diversão! Portador de uma das melhores trilhas sonoras do Super Nintendo, conta também com bons gráficos e pistas excelentes. Se você já jogou, a chance de querer jogá-lo novamente é extremamente alta!

Contras:  O jogo é relativamente curto, isso estraga um pouco o brilho do game. Algumas pistas podem se tornar chatas por serem parecidas com pistas anteriores.


RESUMINDO:

Eu tinha esse jogo, e adorava, vale cada centavo pois é realmente uma obra prima, principalmente para os fãs de velocidade e claro, pra quem curtia o desenho quando ainda passava na TV. Uma curiosidade bacana é que na versão europeia do game, as pistas são repletas de publicidades do famoso chocolate Snickers!



GAMEPLAY:


E é isso aí pessoal, esse foi o capítulo de número 115 da saga Mario Verde, falamos sobre Biker Mice From Mars de Super Nintendo! Até mais!

Chapter #114 - Nightmare Busters


Nome do jogo: Nightmare Busters
Desenvolvedora: Super Fighting Team / Nichibutsu
Gênero(s): Plataforma
Modos de jogo: Single Player, Multiplayer
Ano de Lançamento: 2013
Plataformas: Super Nintendo

Muito bem amigos, chegamos para mais um capítulo da saga Mario Verde, capítulo este de número 114! E o game de hoje é muito especial! Não pelo fato de ser um jogo fantástico ou algo do tipo, mas por um fato super inusitado. O game se chama Nightmare Busters e foi lançado para Super Nintendo. Tá, e o que tem de especial nisso? Simples, o game foi lançado em 2013! Siiim, depois de décadas, o Super Nintendo recebe mais um lançamento, quem comprou o cartucho na sua pré venda, começou a receber ele nesse ano, em 2014! E não para por aí, o jogo é realmente bom e divertido! Com uma trilha sonora animada e uma jogabilidade bem fácil, agradou a maioria dos old gamers!


ENREDO:

O game narra a história de Flynn e Floyd, irmãos gêmeos de uma raça de duendes chamada de Leprechaun, que decidiram entrar no mundo dos sonhos, para combater o malvado vilão Tyrant, que estava atormentando os sonhos de todas as crianças Leprechaun.

No game além dos duendes, outros seres místicos estão presentes, como Ogros, Lobisomens, Gnomos, Trolls e muito mais!


JOGABILIDADE:

A jogabilidade de Nightmare Busters é um dos seus principais pontos fortes, Flynn e Floyd estão repletos de cartas nas mangas, literalmente. Cartas são um dos vários golpes que podem ser utilizados no game. Além de andar, correr e pular, existem vários power-ups para ganhar vários novos tipos de ataques, desde cartas, shurikens, umas espécies de Hadoukens entre outros. Além disso existem os golpes especiais, como explosões, furacões e mais algumas coisas.

A dificuldade do jogo, assim como a maioria dos games do Super Nintendo é assombrosa, algo que os gamers de hoje em dia podem reclamar bastante, porém os old gamers com certeza vão adorar!


GRÁFICOS:

Os gráficos são fantásticos, são dos mais lindos que já vi pra Super Nintendo, repleto de detalhes, cores que deixam o jogo com um semblante bem místico. Além claro dos backgrounds que também são ricos em detalhes.

Também, se não fosse assim os produtores teriam que apanhar de cinta, pois olha o tempo que tiveram pra desenvolver o game! hahahaha


TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

Como eu já havia comentado anteriormente, a trilha sonora é muito boa. As músicas são todas bem animadas e todas possuem a temática mística do jogo.

Quanto aos efeitos sonoros, esses também ficaram todos bem bonitos, utilizaram praticamente tudo o que o Super Nintendo era capaz de oferecer.



MODOS DE JOGO:

Primeiramente o modo Single Player, aonde você terá que passar por diversas fases, enfrentando os monstrinhos e os chefes, típico de todo jogo do estilo.

Além disso o game conta com o modo Multiplayer, aonde os dois jogam simultaneamente controlando os irmãos duendes, fica bem mais divertido do que jogar um por vês, além disso o desafio aumente, mas quando se joga em dois, um pode salvar o outro em diversas situações e a diversão aumenta 100%.


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:

Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:



CURIOSIDADES:

Nightmare Busters começou a ser desenvolvido em 1994, com previsão de lançamento para 1995, porém a produção foi interrompida e só foi retomada em 2007 com a ajuda de alguns fãs. A pré venda do jogo começou em 2012, o jogo foi lançado em Dezembro de 2013 e foi entregue somente em 2014!

O cartucho do jogo foi desenvolvido com um formado especial, compatível com todas as versões do Super Nintendo, independente da região! O game está custando aproximadamente 70 dólares e vem com caixinha e manual!


CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: Ótimos gráficos, trilha sonora e efeitos sonoros legais, dificuldade alta, diversão, e claro, um game lançado recentemente!

Contras: Super demora para o lançamento do jogo, o preço do game é um pouco salgado, se equivale aos preços de games para plataformas atuais, mas como é um caso a parte, acho válido.


RESUMINDO:

Nightmare Busters é um game pra ninguém botar defeito, repleto de desafios, com gráficos de encher os olhos. É super válido para colecionadores, por ser um game novo para uma plataforma ultrapassada, acabou se tornando uma relíquia, e o preço só tende a aumentar, então é melhor garantir já o seu!



GAMEPLAY:


E é isso aí pessoal, esse foi o capítulo de número 114 da saga Mario Verde, falamos sobre Nightmare Busters de Super Nintendo! Até mais!

Chapter #113 - Mortal Kombat: Sub-Zero


Nome do jogo: Mortal Kombat Mythologies: Sub-Zero
Desenvolvedora: Midway Games
Gênero(s): Ação, Aventura, Plataforma, Beat 'em up, Luta
Modos de jogo: Singleplayer
Ano de lançamento: 1997
Plataforma(s): Playstation, Nintendo 64

Mais um capítulo da saga Mario Verde, capítulo de número 113 e o game de hoje é especialmente para os fãs de carteirinha do Sub-Zero do Mortal Kombat. Sim, ele tem um game próprio, intitulado de Mortal Kombat Mythologies: Sub-Zero. Um game com uma proposta um pouco diferente dos tradicionais MK's, mas que leva a boa e velha jogabilidade padrão, conta com uma trilha sonora característica da série, belos gráficos e uma dificuldade elevada.



ENREDO:

A história do jogo é um dos pontos mais fortes, ela ocorre antes dos eventos do primeiro torneio Mortal Kombat, envolvendo obviamente, o Sub-Zero original. Sabendo que Sub-Zero é um ninja, Quan Chi paga por seus serviços, e um desses serviços era buscar um certo pergaminho em um templo Shaolin.

No templo, Sub-Zero descobre que o feiticeiro Quan Chi também contratou Scorpion, do seu clã rival. Ambos competem pelo roubo do pergaminho e chegam ao local praticamente ao mesmo tempo. Ambos decidem lutar para ver quem completaria a missão, e Sub-Zero vence e acaba matando Scorpion.

Em uma nova missão sob o comando de Quan Chi, Sub-Zero é enviado a um templo para conseguir o Amuleto de Shinnok. Quando Quan Chi obtem o amuleto, Haiden aparece e diz a Sub-Zero que ele cometeu um enorme erro. Quando Sub-Zero vai em busta de Quan Chi, acaba sendo capturado e jogado em uma cela. Lá encontra novamente Scorpion, que agora é um espectro. Os dois lutam novamente em um combate, onde Sub-Zero vence novamente. A história segue com Sub-Zero em busca de Quan Chi.


JOGABILIDADE:

Seguindo uma mistura de Mortal Kombat com game de plataforma, a princípio você poderá sofrer com a dificuldade, mas vai se acostumando com o tempo, e acaba se tornando viciante, pois é um game muito bom. Os combos de Sub-Zero estão todos presentes, e suas magias de gelo também.

Como os controles são um pouco complicados, a maioria já no começo simplesmente desiste e diz que o jogo é uma porcaria. Mas não é bem assim, concordo que de primeiro momento os comandos são complicados, mas garanto que se torna divertido.


GRÁFICOS:

Se comparar com os seus antecessores do Super Nintendo, os gráficos são fantásticos, mas comparado com outros games de Playstation lançados na mesma época, pode se tornar uma decepção. Os gráficos da versão de Nintendo 64 são bem mais bonitos e ricos em detalhes. Mas apesar de tudo isso, os gráficos não são assim tããão ruins, da pra quebrar um galho, os detalhes e planos de fundos até que são bonitinhos hehehe.


TRILHA SONORA E EFEITOS SONOROS:

A trilha sonora do jogo segue o mesmo padrão de sempre, sem inovações e as músicas parecem ser exatamente as mesmas de sempre, um defeito da Midway.

Já os efeitos sonoros, adivinhem, também são os mesmos de sempre. Pelo menos para aqueles mais veteranos na série, vão acabar se familiarizando com o game mais rápido que os demais.


MODOS DE JOGO:

Infelizmente só existe o modo principal, o que acaba fazendo com que o game caia no esquecimento após um tempo, não existem extras e nem novos personagens (até porque não faria muito sentido mesmo jogar com o Scorpion o game do Sub-Zero).


DICAS:

Digite os códigos abaixo na tela de Password:

Urnas Ilimitadas: NXCVSZ
Vidas Ifinitas: GTTBHR
Ver os Créditos: CRVDTS
Começar na "Fortress Stage": ZCHRRY
Explodir Chefes da Terra: RCKMND
Começar Na Missão 2: THWMSB
Começar Na Missão 3: CNSZDG
Começar Na Missão 4: ZVRKDM
Começar Na Missão 5: JYPPHD
Começar Na Missão 6: RGTKCS
Comaçar Na Missão 7: QFTLWN
Começar Na Missão 8: XJKNZT


AVALIAÇÃO MARIO VERDE GAMES:

Confira agora a avaliação Mario Verde Games sobre o jogo:



CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Prós: Boa história, conta sobre o passado de Sub-Zero, é uma alternativa para os games do Mortak Kombat, enfim, é o Sub-Zero pohha!

Contras: O jogabilidade é bem complicada, não tem muita novidade na parte sonora e gráfica do jogo, e o fator replay é nulo.


RESUMINDO:

A maioria das pessoas não gostam desse jogo, mas também ele não é de se jogar fora, confesso que ele possui muitos defeitos, mas também tem seus pontos fortes. É um item obrigatório pra quem é fã da série Mortal Kombat, principalmente do Sub-Zero.


GAMEPLAY:


E é isso aí pessoal, esse foi o capítulo de número 113 da saga Mario Verde, falamos sobre Mortal Kombat Mythologies: Sub-Zero de Playstation! Até mais!

Confira outros Games Clássicos que você poderá gostar também!